Vídeo em Destaque

+ Mais videos

Enquete

LULA SERÁ PRESO?
Crônicas do Imperador
na Rede

RESPEITO É BOM E ELA EXIGE!

Terça feira, 28 de Julho de 2015
RESPEITO É BOM E ELA EXIGE!

 No dia 13 de junho de 2014, saiu publicado no Blog do Kennedy, do jornalista Kennedy Alencar, um mineiro tarimbado em coberturas internacionais e ligado a temas de política:

 

“Na abertura da Copa, houve um desrespeito e uma deselegância com a presidente Dilma Rousseff. A vaia tradicional é uma demonstração de insatisfação e deve ser aceita numa democracia. Mas xingamentos com palavrões ultrapassam os limites da civilidade e mostram como o debate público no Brasil regrediu e ficou radicalizado. A presidente não é imune à críticas, mas é uma pessoa séria e honesta, dona de uma biografia que deveria ser respeitada. É importante que uma mulher que foi presa e torturada na ditadura militar tenha chegado à Presidência da República. Jornalistas e personalidades públicas devem tomar cuidado ao propagar ideias regressivas e xingamentos. E candidatos da oposição perderam chance de condenar um ataque à figura da presidente, que representava o país. Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) já sofreram ataques de baixo nível.”

 

Não posso deixar de concordar com o jornalista em alguns aspectos, tais como: deselegância e desrespeito com o posto de Presidente da República. De fato, deveríamos agir com mais cortesia e autoridade com aquele em que o povo lhe conferiu o mandato. Também concordo que xingamento e palavrões ultrapassam os limites de civilidade; mas minhas concordâncias encerram por aqui, porque não posso concordar com qualquer aspecto que limite a Presidente Dilma a falta de diálogo com o povo. Diálogo é algo que Dilma jamais quis praticar; e quem discorda disso, perdoe-me, mas é alguém, ou completamente alienado, fanático; ou é alguém acéfalo. Esse é o primeiro ponto!

 

Depois, dizer que o currículo de Dilma corrobora com o perfil de alguém sério e honesto, dona de uma biografia respeitada, desculpe-me preclaro Kennedy, mas o senhor foi quem ultrapassou os limites da plausibilidade. Por necessidade financeira ou por desvirtuação do caráter, no currículo de Dilma Jana Rousseff consta assalto a banco; e dizer que isso ocorreu numa época onde pessoas o faziam em nome da liberdade do país já é demais para mim ou para qualquer pessoa que tenha cérebro (mesmo que não o use). Dilma foi presa e torturada sim; e eu não afirmo que isso foi bom, porque sou um humanista, defensor dos direitos universais do ser humano; inclusive o da extensa e absoluta defesa, mas Dilminha pôs um pau de fogo nas mãos e promoveu algumas “entradinhas” nos bancos de sua época de criminosa; e há quem diga que até matou pessoas.

 

Já imaginaram sair dizendo hoje que assaltar bancos é bom para o país, porque os lucros desses bancos, via de regra, sempre vão para fora daqui? É insustentável e completamente insano; e se Dilma também pensasse assim, deixaria somente a Caixa Econômica Federal operando no Brasil, porque até o Banco do Brasil tem capital empregado vindo de fora!

 

Sem querer dizer nomes, eu conheço duas pessoas da época de ouro da Dilma; gente que conviveu diretamente com ela e que hoje tem mais de 70 anos; e o que eu já ouvi dessas pessoas a respeito dela não foi nada agradável!

 

Mas seus crimes foram perdoados, então, fazer o que? Nada! É como o ditado: faz quem pode, obedece quem tem juízo; e quem sou eu para contrariar aquilo que a Lei determina. A lei diz que ela não deve nada, então, sigamos a lei e vamos em frente...

 

O virtuoso jornalista Kennedy, no final de seu artigo, disse que Aécio Neves e na época, ainda vivo, Eduardo Campos, perderam raras oportunidades para reprimirem os ataques a Dilma, mas eu afirmo que o que falta em Dilma é a mesma coragem que teve no passado. No meu ponto de vista, ela já deveria ter ido a TV para dizer que concorda com a operação Lava Jato da PF; e que as decisões do Juiz Moro, se confirmadas as verdades, são um marco histórico para o Brasil; e não dizer o que anda dizendo, que o Brasil está na lama por causa da PF e da Justiça Federal.

 

O Jornal Valor Econômico estampou na edição de hoje: “DILMA DIZ QUE LAVA-JATO TIROU UM PONTO PERCENTUAL DO PIB”. Misericórdia! É sério mesmo que ela disse isso em tom de reclamação?

 

Se for sério a eloquência da Presidente, isso quer dizer então, que ela queria 1 ponto a mais no PIB e todo mundo indiciado pela Lava-Jato solto, fazendo o que sempre fizeram? Eu pensava que havia algo errado, mas agora tenho certeza: - Tá tudo errado, Presidente!

 

A senhora que é tão democrática e articuladora, tão séria e honesta, convoca uma reunião de seus ministros, sendo que só chamou aqueles que a senhora tem certeza que come na sua mão; enquanto os outros, tidos como aliados de seus atuais adversários, sequer são chamados, para comentar uma asneira de que a PF retirou 1 ponto percentual do PIB desse ano? Com o devido respeito ao cargo de Presidente, mas sem nenhum a pessoa da Dilma; mas vá a merda, Dilma; isso é muito para minha cabeçorra!

 

Perdoe-me mais uma vez, se me apresento ácido ou incivil, mas a Senhora só consegue fazer acreditar nesse tipo de história duas classes de gente; a primeira é quem votou na Senhora, que sabemos bem que são na sua maioria dependentes da esmola Federal e analfabetos; e a segunda classe de gente é quem depende direta ou indiretamente dos lucros delinquentes que a Senhora permite que ocorra.

 

O índice de aprovação popular da Presidente beira os 7% segundo pesquisas, enquanto o atual índice de analfabetismo no Brasil está na casa dos 14%, segundo a UNESCO; então é fácil entender que até os analfabetos são contrários a Dilma e ao PT!

 

O PT do Brasil inventou a fórmula correta para legalizar o ilegal. Montanhas de dinheiro sujo foram parar nas contas dos partidos aliados e do próprio PT; e legalizados em seguida sob o rótulo de doação legal de campanha; e não vai dar em nada, porque até nisso eles pensaram; puseram em prática um joguete administrativo judicial onde o ex advogado do PT e de Lula; e que responde a crime de estelionato, dentre outros; virou Ministro do Supremo e em seguida, Presidente do Tribunal Superior Eleitoral. Tem algo melhor do que isso para se manter no Poder e ficar intocável?

 

Para a sorte de Dilma, Lula e Cia Ltda do PT, quem tem foro privilegiado, ainda não pode ser preso pela Polícia Federal, muito menos indiciado pelo Juiz Moro do da JF do PR. Essa corja imunda e covarde, reitera a todo instante que os bilhões de Reais que eles lucraram é legal; e de fato o é, porque a legislação concernente ao caso é retrógrada; e quem pode muda-la, não o faz para não viver de ideologia; e quem pode julgá-la, não o faz por compromisso com o crime.

 

Nojo eu não sei se é a palavra mais correta. Quando afirmo que sinto nojo, falo de repugnância em assistir tantas e reiteradas vezes um grupo vasto de pessoas empossadas para defender o povo, mentindo; e ver o mesmo povo roubado, parte dele, endeusando seus algozes. Isso é muito pior do que na ditadura que o Brasil passou.

 

Sou contra a golpe militar; e dificilmente alguém me verá escrevendo diferente; mas até nisso Dilma é miserável, porque também se diz contra os golpes militares; e se diz perseguida por ele no passado, mas apoia a ditadura castrista em Cuba e noutros recantos do planeta. Controverso ou oportuno?

 

A Operação Lava-Jato está em sua 16ª Fase; e disso tudo, já prendeu gente muito importante, considerada no Brasil como intocável. Uma operação que mexeu com força nas castas políticas brasileiras. Quem diria que tantos presidentes de multinacionais como Odebrecht teriam constados em suas fichas um número de presidiário (INFOPEN)? O que era restrito, até pouco tempo atrás, a negros e prostitutas, agora está ao alcance de todos? Não! Ainda não está!

 

Assim como na Índia, implicitamente, também temos nossas castas e níveis de cleros. Na Índia, a mais baixa casta pertence aos PÁRIAS (marginais), depois os SUDRAS (servos), depois os VAÍCIAS (comerciantes), depois os XÁTRIAS (guerreiros com poder político); e finalmente os BRAMAS (os mais poderosos).

 

Atualmente no Brasil, as castas se dividem assim:

GRÃO-MESTRADO PETISTA, equivalente ao Bramas indianos; lugar reservado a gente como Lula, José Dirceu, Antonio Palocci, Dilma Rousseff e Ministros do Supremo Tribunal Federal.

CALIFADO AGRUPADO, como os Xátrias, são os soldados a serviço do Grão-Mestrado Petista. Nessa classe estão os políticos e empresários mais poderosos.

BRIOSOS ABATIDOS, como os Vaícias, é a classe que trabalha e gera renda para remunerar um pouco das classes mais baixas e também manter a fome das classes acima.

ESCUDEIROS, como os Sudras, são os trabalhadores individuais com carteira assinada.

APÁTICOS, assim como os Párias indianos, é todo o resto; o que não couber nas classes acima, para o Governo petista é tudo igual. Não pode falar nada, fazer nada, sequer se mexer; caso em contrário, eles os retiram da condição de bolsistas. Qualquer reação, o PT lhes ameaça retirar o SUS e colocam a inflação lá nas alturas. A única atribuição permitida para os Apáticos é votar; e votar no PT.

 

Não tenho mais nada a dizer. Respeitar a Presidente é preciso sim, mas calar-se diante de tudo, é concordar com aquilo que ela e seus lacaios praticam!

 

Encerro minha lamúria com palavras de minha adorável e estimada amiga Cleide Canton, jurista e poeta, envergonhada há anos, que numa obra das mais magníficas que já li, até parece que foi feita para o Brasil de hoje:

 

Sinto vergonha de mim por ter sido educadora de parte desse povo, por ter batalhado sempre pela justiça, por compactuar com a honestidade, por primar pela verdade e por ver este povo já chamado varonil enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim por ter feito parte de uma era que lutou pela democracia, pela liberdade de ser e ter que entregar aos meus filhos, simples e abominavelmente, a derrota das virtudes pelos vícios, a ausência da sensatez no julgamento da verdade, a negligência com a família, célula-Mater da sociedade, a demasiada preocupação com o "eu" feliz a qualquer custo, buscando a tal "felicidade" em caminhos eivados de desrespeito para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim pela passividade em ouvir, sem despejar meu verbo, a tantas desculpas ditadas pelo orgulho e vaidade, a tanta falta de humildade para reconhecer um erro cometido, a tantos "floreios" para justificar atos criminosos, a tanta relutância em esquecer a antiga posição de sempre "contestar", voltar atrás e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim pois faço parte de um povo que não reconheço, enveredando por caminhos que não quero percorrer...

Tenho vergonha da minha impotência, da minha falta de garra, das minhas desilusões e do meu cansaço. Não tenho para onde ir pois amo este meu chão, vibro ao ouvir meu Hino e jamais usei a minha Bandeira para enxugar o meu suor ou enrolar meu corpo na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim, tenho tanta pena de ti, povo brasileiro! 

 

Carlos Henrique Mascarenhas Pires



Comentários 0



Nossos Parceiros

© Copyright 2011 - Crônicas do Imperador. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento de sites