Vídeo em Destaque

+ Mais videos

Enquete

LULA SERÁ PRESO?
Crônicas do Imperador
na Rede

OUTRO MURO DA VERGONHA?????

Sábado, 30 de Setembro de 2006
OUTRO MURO DA VERGONHA?????

Eu até concordo em parte com a posição ideológica do banqueiro mexicano Guillermo Ortiz que afirma que “o México necessita de sua gente e que é preciso criar condições práticas de geração de emprego e renda para que eles fiquem em seu próprio solo e não procurem sonhos em nações alheias”. O que o magnata mexicano provavelmente esqueceu é que muitas das terras da Califórnia, Arizona, Texas e Novo México eram partes integrantes do território mexicano no século XIX e foram roubadas de forma brutal daquele povo; aliás, povo este que é irmão de Ortiz.

Eu também concordo com os senadores conservadores estadunidenses quando visam proteger seus limites territoriais e até mesmo criar leis mais “duras” que impeçam a imigração desordenada. Os imigrantes ilegais de fato prejudicam não só a economia americana que, se explode por um lado, cai pelo lado da evasão de divisas monetárias. Se o consumo sobre e alguns setores sociais enriquecem com a mão de obra barata, os ilegais costumam viver de forma desordenada gerando violência e criminalidade e ainda mandando boa parte dos dólares ganhos para suas nações de origem. A conseqüência disso é que falta moeda presencial e o Banco Central estadunidense precisa gerar mais moedas e por conseqüência faz crescer a inflação.

Para quem já viveu numa região de fronteira entre os EUA e o México como eu, sabe que o clima já é péssimo e desigual. Em El Paso, sul do Texas, onde eu vivi, existe uma lei muito engraçada para ordenar as visitas mutuas; os americanos que vivem em El Paso receberam passe livre para irem a Ciudad Juarez do outro lado da fronteira sem necessitar de vistos, mas os juarenses que pretenderem visitar El Paso NECESSITAM OBRIGATORIAMENTE de visto comum do tipo “turismo”.

O que separa El Paso e seus quase 600 mil habitantes dos quase 2,5 milhões de habitantes de Ciudad Juarez além do Rio Grande são as cercas de arame farpado e elétrico além de centenas de homens fortemente armados da Border Patrol, a polícia de fronteira americana, que tem autorização legal para atirar para matar quem quer que tente atravessar a fronteira ilegalmente.

Agora o Senado dos EUA pretende construir 1200 km de muro alto e de difícil escalada para separar definitivamente o México dos Estados Unidos da América, uma espécie de muro de Berlim moderno para por um fim definitivo nas questões fronteiriças entre as duas nações que se dizem amigas.

No projeto original o muro seria fracionado nas partes de fronteira de fácil acesso nos quatro estados que fazem fronteira com o México, que são eles, Califórnia, Arizona, Novo México e Texas, mas as partes mais críticas seriam instaladas no extremo oeste (Califórnia) na região de Tijuana e nas cidades próximas a El Paso no Texas, pois seria quase impossível e seriam muito criticados por todas as nações se pretendessem construir uma fronteira de muro com quase 4 mil km que fechasse todo o sul dos EUA.

De uma forma ou de outra os estadunidenses deveriam medir melhor todas as conseqüências que sua invasão estratégica ao norte do México no Século XIX provocou ao povo mexicano com a retirada de quase toda prata e ouro que lá existia e em tempos mais idos a falta que faz a economia daquele pais as “plantações” de poços de petróleo que existem hoje no Texas. As leis e os historiadores “americanos” deveriam enxergar que o México endividou-se ao longo dos anos por não ter do que sobreviver e até hoje o pouco que consegue produzir ainda não consegue vender para seus vizinhos abastados por conta dos subsídios internos legais que barateiam e inviabilizam a transação internacional de praticamente toda mercadoria mexicana.

Agora, com este novo projeto, o povo mexicano que já se sentia refém de uma fronteira que separa a fome do sonho de riqueza tornar-se-á não só um pesadelo; este novo projeto de fronteira concretizará que a realidade do México é que o país é uma grande prisão americana de quatro enormes paredes; a primeira parede é o Oceano Pacifico; a segunda o Atlântico, a terceira a miséria de Honduras e Belize e a quarta, os irmãos ingratos que lhes roubaram e ainda lhes negam ajuda...

 



Comentários 0



Nossos Parceiros

© Copyright 2011 - Crônicas do Imperador. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento de sites