Vídeo em Destaque

+ Mais videos

Enquete

LULA SERÁ PRESO?
Crônicas do Imperador
na Rede

ONDE ESTÃO OS PANDAS DA AMAZÔNIA?

Sexta feira, 10 de Junho de 2011
ONDE ESTÃO OS PANDAS DA AMAZÔNIA?

Você já se imaginou vivendo num universo onde haja “micro-leão dourado”, onde o “sero mano” consegue escrever para uma prova tão confortavelmente ou onde o “Euninho”, de nome tão meigo, provoca tanta devastação? – Saiba que este universo existe e pertence a muitos estudantes do Brasil, como nos apontam as famosas pérolas advindas do ENEM, que eu já começo a classificar como eh! Nem!
 
Geralmente ouvimos o Jô Soares se esbaldando em risos quando lhe chegam tais pérolas, mas estas jóias extraordinárias não são somente colhidas das provas do ENEM; escolas de todos os tipos, de todas as classes e de todas as partes do Brasil, ou não estão nem aí para o futuro de seus corpos discentes, ou se empenham em todas as matérias, menos para a formação de pessoas que no mínimo saibam escrever com recato!
 
Agora a pouco recebi uma lista e por pouco eu não tive um ataque cardíaco de tanto rir; e se riu, não é porque os nossos estudantes graduados em besteirol escrevem errado; isso é tão comum que pouca coisa me tira do sério; riu disso tudo, porque a criatividade desta gente chega a um ponto tão hilário, que não me deixa alternativa se não fazê-lo! Observem algumas destas loucuras da lusofonia brasileira!
 
Alguém que quis desabafar e sê-lo filósofo disse que “o sero mano tem uma missão...”; pelo visto a missão dele é sinalizar o mundo sobre sua condição de bate-orelha com diploma de segundo grau!
 
Argüido a explicar os fenômenos da natureza, um estúpido escreveu: “O Euninho já provocou secas e enchentes calamitosas...”. Calamitoso é ter que ler isso! Outro sensível estudante disse: “O problema ainda é maior se tratando da camada Diozanio”. – Pelo amor de Deus, eu preciso conhecer Diozânio! Problema gravíssimo está na Mata Atlântica; segundo um estudante os madeireiros da região amazônica estão migrando: “A situação tende a piorar: o madereiros da Amazônia destroem a Mata Atlântica da região.”
 
Se você pensa que tudo está acabado, não se engane! Em se tratando de natureza os nossos amáveis estudantes dão show quando escrevem sobre o tema. Preservação que anda tão em voga inspirou alguém a escrever “Não preserve apenas o meio ambiente e sim todo ele”; e se isso tudo se traduz numa gravidade não só ambiental, mas de linguagem escrita, vejam isso: “É um problema de muita gravidez”. De fato se o pai deste último estudante tivesse utilizado um preservativo, não estaríamos lendo tamanha estupidez; ele evitaria contágio de doenças com a AIDS e ainda não leríamos também isso: “A AIDS é transmitida pelo mosquito AIDES EGIPSIO”! Preciso citar mais alguma frase intemerata?
 
Sim, precioso! Por que é bom escrever sobre tais pérolas, pois o humor na escrita não é o meu forte e agora estou descobrindo um lado pungente, talvez cáustico, de minha pobre escrita da nossa língua mãe!
 
“Já está muito de difíciu de achar os pandas na Amazônia”; neste caso não se trata somente de estupidez da língua; difícil mesmo, além de ter que anegar o “difíciu” dele, é imaginar quando é que houve Panda na Amazônia? – Será que ele pensou que na Pangeia havia Pandas na Amazônia?
 
Outro disse que “a natureza brasileira tem 500 anos e já esta quase se acabando”; o garoto acredita mesmo que a nossa fauna e flora vieram com Cabral em 1500, se instalaram numa pousada em Porto Seguro e depois se uniram para formar a natureza brasileira...! Santa ignorância!
 
Agora o que você me diz disso: “o cerumano no mesmo tempo que constrói, também destroi, pois nos temos que nos unir para realizarmos parcerias juntos”. Encarecidamente eu digo: - No dia que este estudante resolver formar tal parceria, me fale com antecedência, pois eu me mudo para Marte!
 
Tem estudante que deseja matar mosquitos com moto-serra; acredite, pois é verdade! “Na verdade, nem todo desmatamento é tão ruim. Por exemplo, o do Aeds Egipte seria um bom beneficácio para o Brasil”.  O outro justifica o clima e diz “Isso tudo é devido ao raios ultra-violentos que recebemos todo dia”; isso é um “estrupo” para meus olhos! E que tal esta: “Tudo isso colaborou com a estinção do micro-leão dourado”; pelo visto o micro-leão, um leãozinho bem pequenininho e douradinho, foi “estinto”; para a honra e glória de alguma mula manca e sem cabeça!
 
Para explicar sobre uma questão de alguma formação undífera o estudante disse: “são formados pelas bacias esferográficas”; esta doeu! Para concordar com veemência, outro disse: “Eu concordo em gênero e número igual”; mas eu digo: eu discordo! Outro, talvez por ter lido tanta asneira, disse: “Precisa-se começar uma reciclagem mental dos humanos, fazer uma verdadeira lavagem celebral em relação ao desmatamento, poluição e depredação de si próprio...”. Celebral deve ser o que tem na cabeça dele; alguma doença mental provocada por fumar tóxico!
 
“O serigueiro tira borracha das árvores, mas não nunca derrubam as seringas”; um analista afirmou que este estudante deve ter tomado “uma” na veia! “As chuvas foram fortes, mas não tivemos danos morais”; deve ser um estudante de direito! Se tivesse algum dano moral ocasionado pela chuva, com certeza haveria algum advogado para processar São Pedro; e para finalizar esta etapa valiosíssima e verossímil para a burrice aguda crônica, veja esta: “Vamos deixar de sermos egoistas e pensarmos um pouco mais em nos mesmos”; cruz credo; sai dete corpo que não te pertence; êparrei yoa meu pai!
 
Parafraseando Nelson Rodrigues eu digo que invejo a burrice, porque ela é eterna! Já o saudoso Rui Barbosa disse “Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma ciência”. Roberto Campos desabafou: “A burrice não tem fronteiras ideológicas”.
 
Não confunda a bondade alheia com burrice, muito menos o silêncio alheio com passividade; eu só não costumo ser silencioso em nada, por nada e para nada; nem mesmo quando isso me atinge e é por isso que eu vivo, para crescer; pois acredito piamente e reitero que sou tudo na vida; até falo e escrevo errado, mas nunca fui; não sou e jamais serei um muar que pensa que é humano!
 
Para a juventude de hoje que até sabe o que é um jornal por que os vê entupindo bueiros ou ao sabor dos ventos, eu digo e suplico: - leiam jornais, revistas velhas; assistam os programas criativos, históricos, os documentários, enfim; leiam livros, folhetos e comunicados; façam um esforço sobre-humano para aprenderem no mínimo a leitura, pois quem lê consegue pelo menos discernir com lógica; e desta forma, creio que consiga escrever também corretamente!
 
Você que almeja ser desembargador ou Presidente da República; acaso não consigam os objetivos e a vida lhes oferte outros ofícios, como o de carregador de lixo; o sejam com dignidade e cultura; é o mínimo que podemos esperar para um país menos atrasado e seus filhos terão com certeza mais oportunidades; isso já nos basta!

 

Carlos Henrique Mascarenhas Pires



Comentários 0



Nossos Parceiros

© Copyright 2011 - Crônicas do Imperador. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento de sites