Têm várias coisas que eu adoro fazer fora do cotidiano natural; escrever é a primeira delas; estudar é outra paixão, mas estar na cozinha me proporciona inúmeras sensações incríveis; primeiro eu estou em contato direto com a comida e depois eu posso inventar pratos exóticos e muito pessoais. Muitas destas receitas eu jamais repito, isso porque elas são criadas aleatoriamente com a utilização de ingredientes pouco comuns, como sobras de molhos, mas há outras que de tanto receberem elogios e comentários, eu acabo anotando e repetindo várias vezes. " />

Vídeo em Destaque

+ Mais videos

Enquete

LULA SERÁ PRESO?
Crônicas do Imperador
na Rede

MAMINHA ROMANESCA: DELICIOSA

Terça feira, 02 de Fevereiro de 2010
MAMINHA ROMANESCA: DELICIOSA

Têm várias coisas que eu adoro fazer fora do cotidiano natural; escrever é a primeira delas; estudar é outra paixão, mas estar na cozinha me proporciona inúmeras sensações incríveis; primeiro eu estou em contato direto com a comida e depois eu posso inventar pratos exóticos e muito pessoais. Muitas destas receitas eu jamais repito, isso porque elas são criadas aleatoriamente com a utilização de ingredientes pouco comuns, como sobras de molhos, mas há outras que de tanto receberem elogios e comentários, eu acabo anotando e repetindo várias vezes. 

É bom deixar claro que nem todas as receitas que faço são espetaculares e merecedoras de anotação em algum livro, mas também se faz importante lembrar que sou um cozinheiro ocasional ou acidental; jamais fiz qualquer tipo de curso ou ando lendo livros de receitas, portanto, se eu aproveitar como razoável uma em cada dez receitas, com certeza já será um trunfo incrível. 

Como o Irregular.com.br não é um espaço ainda adaptado a este tipo de publicação, resolvi utilizar a ferramenta Blogger do Google para criar o CHAMP, que vem do verbo morder em inglês ou do substantivo “campeão”; CHAMP também pode ser lido como as iniciais de meu nome e este foi um dos motivos de sua criação. Quem quiser visitar o CHAMP, basta acessar o endereço http://cozinhaexpert.blogspot.com/ e uma vez lá, você pode seguir as postagens toda vez que for publicada uma nova receita e deixar comentários. 

Esta é uma receita adaptada de outra que vi na Espanha, na região acima de Sevilha – Cádiz, já bem perto do Marrocos. Os sevilhanos preparam um prato parecido, com outra composição aromática e outros temperos; eu fui buscar a inspiração naquilo que dispomos aqui no Brasil e muito embora a foto não esteja a nível profissional, dá uma breve dimensão de como ficou. É muito bom lembrar que esta receita é para quem ama o sabor verdadeiro da carne vermelha! 

É fácil, simples e deliciosamente saboroso, portanto, não deixe de fazer e mandar o seu comentário. 

Ingredientes:

600 gramas de maminha

½ maço de coentros

½ maço de cebolinhas

½ cebola branca

06 dentes de alho

10 mini tomates italianos

10 azeitonas sem caroço

Pimenta do reino a gosto

Sal a gosto

100 ml de azeite de oliva extra-virgem 

Como fazer:

Tudo começa no corte da carne. Você deve retirar tudo que seja pele e somente deixar algum vestígio da gordura natural da carne. Divida a carne em dois cubos grossos (cerca de 7 cm de espessura) e tempere-os com o sal e a pimenta do reino. Não precisa mais que 10 minutos no tempero.

Enquanto isso lave os tomates e mantenha-os inteiros; retire a pele do alho; corte a cebola no sentido “meia lua”, pique o coentro e a cebolinha, lave bem a azeitona e deixe tudo reservado numa tigela pequena.

Numa caçarola larga e grande esquente bem o azeite de oliva; quando você notar a mudança de cor é o sinal de que ele está muito quente; coloque o lado mais duro da maminha temperada, aquele mesmo lado que você retirou a pele fibrosa e deixou um pouco da gordura. Deixe fritando em fogo alto por cerca de 3 minutos. Baixe o fogo para médio e mantenha a maminha fritando somente de um lado. Este é um dos segredos do que você vai provar depois! 

Quando a carne mudar completamente de cor, passando a ficar marrom, vire o lado da maminha por no máximo 1 minuto em fogo bem alto. Baixa novamente o fogo, colocando em médio e volte o lado mais duro para fritar. Coloque todos os ingredientes reservados na tigela na mesma caçarola onde está a carne e com uma colher de pau fique virando e mexendo. O sinal é quando o tomate começar a mudar de cor para ficar quase preto. Neste momento, retire tudo da caçarola, menos a maminha, que deve ficar fritando. 

Coloque tudo dentro da tigela para esfriar um pouco e baixe o fogo da maminha na caçarola. Bata os ingredientes do molho no liquidificador no “pulsar” por cerca de 30 segundos ou até quando virar uma pasta meio homogênea. 

Faça sulcos de mais ou menos 1 cm a maminha da caçarola, sem deixar que vire filetes. Coloque o caldo que sobrou da caçarola junto ao molho batido. Retire a maminha sulcada e ponha em seu prato, colocando a seu gosto o molho batido por cima dela. 

Tente, experimente e me conte esta experiência incrível de comer uma carne de sabor inigualável, com uma textura ímpar e um molho quase agreste que os espanhóis dizem ser da Romênia e que remonta de muitos séculos! 

Esta receita eu fiz pela primeira vez para agradar a minha querida esposa, Cristina, que já me exigiu que fizesse outra vez! Sinal que pelo menos ela gostou!

 

Carlos Henrique Mascarenhas Pires

Fotos desta receita: http://cozinhaexpert.blogspot.com/

 

 



Comentários 1

tom

Domingo, 12 de Junho de 2011, às 13:38
Doutor Henrique! Esse prato vc tem que fazer aqui em casa. Pode deixar que os ingredientes são por minha conta. Tom



Nossos Parceiros

© Copyright 2011 - Crônicas do Imperador. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento de sites