Vídeo em Destaque

+ Mais videos

Enquete

LULA SERÁ PRESO?
Crônicas do Imperador
na Rede

ISSO SÓ PODE SER PEGADINHA

Quinta feira, 14 de Dezembro de 2006
ISSO SÓ PODE SER PEGADINHA

Em outra crônica eu falei da fábula infantil que criaram para fazer voar a Trans Brasil e a VASP, depois delas veio a VARIG que também quebrou e voa com debilidades em todos os sentidos, aliás, a VARIG não está voando e sim, se arrastando até receber alguma misericórdia do Governo Lula.

No meio desta onda de quebradeiras das empresas aéreas surgiu uma outra empresa chamada de Web Jet que até tentou iniciar suas operações como sendo nova e diferente, mas nadou pouco e morreu antes mesmo de atingir a praia e por ultimo, os comentários néscios de que a Oceanair, outra empresa aérea regional brasileira, poderia abocanhar as fatias de mercado deixadas pelas empresas que “explodiram”, mas como já notamos, não passaram de boatos.

O que há de concreto é que a novíssima e razoável GOL anda de vento em popa, lotada de passageiros e com as tarifas iguais ou até maiores que as demais que ainda voam no Brasil. A GOL quis e conseguiu, se consolidar como sendo uma empresa que vende barato e é segura. Mesmo com o episodio macabro que a envolveu quando seu Boeing novíssimo bateu com um Embraer Legacy caiu e matou 154 pessoas o fluxo de busca por suas passagens não sofreu nenhum arranhão, ao contrario da TAM quando esteve envolvida em dois episódios que derrubaram seus Foker 100 há cerca de 10 anos.

Por falar em TAM, à empresa que era comandada pelo simpático Comandante Rolim, após sua morte os novos executivos só não mudaram sua cor tradicional, mas o restante foi tudo mexido e de certa forma para melhor. A TAM deixou de ser vista como empresa de elite e hoje oferece tarifas na madrugada tão baixas quanto as promocionais da GOL. Este negócio de oferecer tarifas nas madrugadas me lembra os tempos em que voar era uma coisa para ricos e os poucos pobres que conseguiam embarcar nas aeronaves brasileiras nas décadas de 70 e 80, somente conseguiam se fosse de madrugada por causa das tarifas pouco mais baratas. Pelo visto a coisa está mudando mesmo!

Outro dia, de companhia do meu amigo Claudio Miranda, fomos a Salvador, de Belo Horizonte, num vôo de fim de tarde numa quinta-feira pela incógnita BRA, que já foi “Passaredo”, passou a ser “BRA Passaredo” e agora assumiu de vez a chancela de companhia aérea agregada a PNX Travel Operadora de Turismo; mas voltando ao vôo com meu amigo, saímos de Belo Horizonte às 19:50h num Boeing relativamente conservado, num vôo direto para Salvador com, pasmem, 12 passageiros (incluindo nós dois). Antes desta data eu somente tinha visto cena parecida com a VARIG quando eu voltava dos EUA em 2000.

Levando-se em conta que eu paguei R$ 169,00 pelo bilhete, chegamos à conclusão que a BRA vendeu R$ 2.028,00 no trecho entre MG e a BA. Creio que não tenha dado sequer para pagar o serviço de bordo!

Não bastasse a má fase das companhias aéreas brasileiras, que já vem de antes do setembro de Bin Laden, agora, depois da queda do GOL, a sorte resolveu abandonar de vez a nossa pátria. O caos se instalou nas torres de comando e os controladores de vôo parecem que fumaram uma grande orgia de maconha e andam de maresia daquela data até hoje.

Brincadeira a parte, além dos controladores enlouquecerem coletivamente, agora os equipamentos também resolveram enlouquecer, ou como se diz na linguagem jovem, deram TILT. Uns dizem que existem Zona Cega, outros desmentem; Waldir Pires diz que sabe de tudo e Lula diz que não sabe de nada e a coisa ta virando uma zona. Digo zona no amplo sentido da palavra. Ninguém se entende e o certo é que centenas de vôos já foram cancelados deste setembro e outros milhares saem e chegam com horas de atraso e no meio desta orgia descabida está o passageiro que é obrigado a suportar todo tipo de humilhação, desprezo e desmandos.

Dois amigos influentes na Aeronáutica, um de Natal e o outro daqui de Belo Horizonte, me disseram nesta ultima semana que não existe ponto cego no espaço aéreo brasileiro e que estão transformando esta história num grande mito; já a Rede Globo, mãe de todas as verdades (risos), alugou um Legacy igual ao envolvido no acidente da GOL e fizeram uma rota similar a do acidente assessorada por dois pilotos mais afim de aparecer do que outra coisa, afirmaram que existe sim o tal de ponto cego e insinuaram que o acidente poderia ser evitado se houvesse mais investimento em material tecnológico e humano.

Agora nos resta torcer e pedir e Deus que controle divinamente o espaço aéreo e que estes controladores saiam logo deste estado Nirvana e que estas geringonças que eles chamam de computadores consigam também sair do BUG tardio e voltem logo a funcionar.

 

Carlos Henrique Mascarenhas Pires



Comentários 0



Nossos Parceiros

© Copyright 2011 - Crônicas do Imperador. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento de sites