Vídeo em Destaque

+ Mais videos

Enquete

LULA SERÁ PRESO?
Crônicas do Imperador
na Rede

FIM DE ANO CARO

Segunda feira, 10 de Dezembro de 2012
FIM DE ANO CARO

Todo ano é a mesma coisa; chega à época do verão, época onde as férias impulsiona o turismo, para delírio de todos e regozijo dos empresários. Os hotéis brasileiros, que são os mais caros do mundo, aumentam suas tarifas; e aquele que hoje é o principal meio de transporte da classe média, o aéreo, as tarifas vão literalmente às nuvens.

No verão passado não foi uma exceção, mas este ano a coisa piorou; e a ascendente classe média, que arrotava bonança até outro dia, neste verão terá dificuldade de manter a pose sem comprometer as finanças. Quem no ano passado escolheu um destes destinos mais populares e o fez de avião, ainda tinha a capenga Web Jet e a novíssima Azul para balizar os preços com as outras tradicionais: Tam, Gol, Avianca e Trip. Ocorre que em 2012 a Azul incorporou as atividades da TRIP e a GOL o fez com a Web Jet; e o resultado destas fusões foram tarifas absurdamente impagáveis.

Meu verão de 2012 aconteceu na Argentina e naquela ocasião, viajando com minha esposa e filha, paguei menos de R$ 1.000,00 pelos três bilhetes de ida e volta. A programação para este verão é pelo menos três vezes mais; e isso me fez desistir, repensar e escolher Salvador, mas desta vez, de carro.

E não é só pelo preço alto; não é só pela tarifação absurda. Minha mudança foi motivada muito mais por causa dos transtornos nos aeroportos e pelas outras tarifas que são agregadas aos custos de uma viagem por via aérea. Somente para ter uma ideia, o taxi de tarifa única de Belo Horizonte a Confins, que no ano passado custava R$ 80,00, agora custa R$ 120,00. O hotel que eu sempre fiquei em Missiones – Argentina, antes me cobrava algo em torno de R$ 100,00 por uma diária em apartamento triplo (após convertido de Pesos para Reais), agora ele custa R$ 360,00, já aplicado um desconto para o cliente que o frequenta há mais de 10 anos.

Minha última viagem ocorreu em outubro e naquela ocasião fui ao Peru. O bilhete me custou R$ 978,00; e hoje, passados menos de 2 meses, este mesmo bilhete custa R$ 3.000,00. E não são somente os destinos internacionais que ficaram três ou quatro vezes mais caros; viajar dentro do Brasil de avião também está custando os olhos da cara. Todos os destinos aqui dentro estão absurdamente onerados; e isso ocorre por que estamos com menos duas companhias aéreas e a concorrência que equilibra os preços está pífia e faltante.

Para este verão, quem se arriscar a ir a locais como Salvador, Rio de Janeiro ou Florianópolis, dependendo de onde saia, o bilhete individual não sai por menos que R$ 1.500,00. E para quem pensa que são somente os destinos mais famosos, locais como Cuiabá o bilhete para o período de natal e réveillon não sai por menos que R$ 1.600,00, podendo chegar a casa dos R$ 2.000,00.

O tradicional natal em Nova Iorque, procurado por muitos brasileiros, também teve acréscimo significativo nesta época de acréscimo de passagens. A TAM e a American Airlines são as duas empresas que oferecem os menores custos para quem quiser comprar hoje, cerca de R$ 4.500,00 por pessoa. Em períodos de baixa estação, este mesmo trecho sair por R$ 2.000,00. No mesmo período para Buenos Aires, o custo hoje é de R$ 2.000,00 por pessoa; e até Montevidéu, tradicionalmente um destino mais em conta, este ano o preço está salgado: R$ 4.100,00 por pessoa!

O brasileiro tem a necessidade de sair no final de ano. Em geral se nutre a vontade de viajar para longe de casa para festejar o natal com a família e o réveillon em um lugar exótico. Esta vontade quase generalizada de todo um povo foi meticulosamente usada como estratégia pelas companhias aéreas e rede hoteleira. Sabemos exatamente que quem viaja agora e paga bem mais caro, em média custeia parte do valor de quem viaja em outras épocas do ano e paga bem mais barato.

Informações do governo apontam que quase 18 milhões de pessoas passarão pelos aeroportos brasileiros somente em dezembro. Este volume é 8% maior do que o ano passado; e se as confusões já eram muitas; prevê-se mais 8% também para este ano!

E os hotéis; como estão os preços? Prepare seu coração se você deseja passar o réveillon em um destes paraísos de turistas. No Rio de Janeiro, por um período entre o dia 28/12 e 02/01 em um hotel 4 ou 5 estrelas que não esteja localizado na Avenida Atlântica, este período custará R$ 10 mil. Se você desejar ficar na Atlântica, pertinho da tradicional queima de fogos, prepare-se para desembolsar R$ 20 mil.

Salvador, Florianópolis, Recife, Fortaleza ou Natal praticam tarifas mais baratas; e com um pouco de sorte ainda se encontra algo entre R$ 1.500,00 e R$ 2.500,00 pelo período, mas precisa garimpar, pesquisar, reservar e se certificar de que é verídico o preço sugerido. A empolgação pelo preço mais baixo pode trazer dores de cabeça!

O custo de uma viagem longa não está baseado apenas no deslocamento e hospedagem. Aluguel de carro, restaurante e compras de presentes também estão mais caros. Quem vai viajar para locais onde há festas tradicionais e deseja participar delas é bom ficar atento às ofertas. Clubes e hotéis de grande porte estão organizando festejos de fim de ano e o custo destas celebrações não costumam ser baratos. Um hotel tradicional de Salvador que nem fica a beira mar, fará uma festa com banda e bufett livre ao custo de R$ 500,00 por pessoa; já no Rio de Janeiro, uma festa a fantasia, também tradicional, está cobrando R$ 1.000,00 por pessoa com direito a banda, bebidas e comidas a vontade.

Eu preferi ir de carro e isso barateará significativamente meus custos, uma vez que viajarei em três pessoas; mas há que apontar uma preocupação; se por um lado é mais barato se deslocar de carro, é preciso verificar as condições do carro, planejamento do roteiro com pesquisa de condições climáticas; e dois fatores imprescindíveis para uma viagem mais tranquila: nunca viajar no mesmo dia que todo mundo sai de férias e jamais exceder na velocidade. Para Salvador eu escolhi um roteiro alternativo que acresce cerca de 200 km do roteiro tradicional, mas prevejo que por este caminho terei mais sossego. De avião a minha passagem custaria R$ 5.000,00; já de carro, menos de R$ 800,00 em combustível; em contrapartida, ficarei mais de 24 horas entre a minha origem e o meu destino.

Por mais que as pessoas não queiram entender, datas como o réveillon são meras datas fúteis. Podemos curtir um início de ano novo com muito mais prazer sem termos que pagar absurdamente pela simbologia, mas se você pode pagar por esta simbologia, o faça sem qualquer problema com a compunção. Festas de grande porte e locais exageradamente frequentados numa data simbólica também geram prazer. O grande problema são pessoas que contraem dívidas altíssimas, apenas para mostrar os amigos do facebook, em uma dúzia de fotos, que estiveram lá.

Existem destinos pra lá de paradisíacos, como o Morro de São Paulo, que fazem festas monumentais e que cobram valores bem abaixo dos explorados na maioria dos locais. Uma estada de cinco dias numa pousada como a Brisa Mar, que fica enfrente ao mar da 1ª praia do Morro, com direito a festa do tipo luau, custa R$ 2.400,00 e se pode dividir em até 5 vezes no cartão de crédito; e com um pouquinho de conversa com Dona Cleide, este preço ainda pode cair. Eu prefiro mil vezes o Morro de São Paulo ao Rio de Janeiro; e se não poderei ficar 5 dias durante o réveillon, com certeza, após a virada do ano, depois que os preços despencarem, ficarei 4 dias e desfrutarei de tudo que este lugar mágico pode me oferecer.

Se você ainda não sabe para onde ir, onde ficar e o que vai fazer neste período de final de ano, deixo um conselho: não se afobe; os preços de passagens aéreas e dos hotéis ainda vão cair muito até o dia 23 de dezembro! E não importa se você irá passar a virada do ano na praia de Copacabana, no Morro de São Paulo ou em Palmas no Tocantins; o mais importante é que haja sempre a felicidade de dever cumprido do ano que passou

Bom planejamento de viagem a todos!


Carlos Henrique Mascarenhas Pires



Comentários 0



Nossos Parceiros

© Copyright 2011 - Crônicas do Imperador. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento de sites