Vídeo em Destaque

+ Mais videos

Enquete

LULA SERÁ PRESO?
Crônicas do Imperador
na Rede

BIGGS; O LADRÃO QUE AMA O BRASIL

Sábado, 10 de Agosto de 2013
BIGGS; O LADRÃO QUE AMA O BRASIL

Enquanto muitos de nós ainda éramos bebês, outros nem sonhavam em nascer; quando o mundo ainda soprava ventos de ingenuidade, Ronald Arthur Biggs, carinhosamente conhecido por Ronnie, um moço inglês de 34 anos, ex-militar da Real Força Aérea da Inglaterra (RAF) se preparava para aplicar o maior golpe contra seu país, o Assalto do Trem Postal; fato que mundialmente ficou conhecido como O ASSALTO AO TREM PAGADOR!

Encorajado por outros 15 comparsas e liderado por uma das mentes mais brilhantes do crime londrino, Ronald Biggs, a época marceneiro, roubou 2,6 milhões de Libras Esterlinas que eram depósitos de cidadãos escoceses para os cofres públicos. Cálculos de economistas dão conta que aquela soma equivale hoje a mais de 6 milhões de dólares...

Preso no ano seguinte, após inúmeras desordens e ganancias de seus comparsas, Biggs foi julgado culpado e condenado a 30 anos de cadeia. Preso, o grande ladrão não ficou muito tempo atrás das grades. Com uma escada feita de corda de lençóis, escalou um muro da prisão e fugiu para Paris, onde comprou passaporte falso e fez cirurgia plástica. Permaneceu na Europa até início da década de 70, mas preferiu perseguir a sorte na Austrália; e foi viver trabalhando num canal de televisão até ser reconhecido por um repórter. Fugiu novamente para o interior australiano até que veio para o paraíso dos ladrões, assassinos, falsários e ditadores internacionais, o Brasil!

Biggs fez como muitos outros canalhas internacionais; veio pro Brasil, porque tinha certeza que a impunidade seria sua consorte, enquanto ele aqui vivesse! Roubou, fugiu da cadeia, deixou esposa e filhos para trás e veio gozar seu quinhão no assalto nesta terra de ninguém!

Num resumo rápido, o Assalto ao Trem Pagador foi um dos crimes mais atrevidos da história, quando, sem disparar um único tiro, um bando assaltou um trem que levava depósitos bancários da Escócia para Londres. Na ação, ocorrida em 8 de agosto de 1963, no condado inglês de Buckinghamshire, a quadrilha embolsou exatos 2.631.784 libras esterlinas, o equivalente hoje a mais de 10 milhões de reais! Mas o festejo acabou cedo! Por causa de uma série de cochilos, apenas 5 dos 16 membros da gangue escaparam da polícia; o resto foi parar na cadeia, incluindo o folclórico Ronald Biggs, que virou "celebridade" ao se refugiar no Brasil. Biggs escapou da prisão subornando os guardas e passou anos foragido, até que, em 1970, veio para o Rio de Janeiro. Aqui ele se casou com uma brasileira, com quem teve um filho famoso: Michael Biggs, o Mike, da Turma do Balão Mágico, banda infantil da década de 1980. O filho pop é que livrou o pai da cana: pela lei do Brasil, qualquer estrangeiro que tenha um filho com um brasileiro não pode ser extraditado; e sabendo que aqui era intocável, Biggs passou a se divertir, aparecer na mídia e ganhar dinheiro com sua história!

Pouco depois da meia-noite, após receber a sustentação de um informante de que o trem com a grana estava a caminho, a gangue deixa o refúgio na fazenda Leatherslade, a cerca de 40 quilômetros do local da ação; em dois veículos Land Rovers e um caminhão do Exército roubado.

O bando sabotou um semáforo férreo, cobrindo o sinal verde e usando baterias para acender a luz amarela (que avisa de parada no ponto seguinte). Noutro sinaleiro mais adiante, local da ação, eles aplicam o mesmo método, mas, desta vez, deixando aceso o sinal vermelho, para parar o trem.

Após cortar a linha do telefone de emergência próximo ao segundo sinaleiro, o grupo toma suas posições. O líder da quadrilha fica distante, em um terreno elevado, para avisar da passagem do trem aos demais integrantes via rádio amador, porque na época não havia celular...

Por volta das 3 e meia da madruga, o comboio para no local da ofensiva. Os criminosos entram na locomotiva e rendem o maquinista, que leva uma paulada na cabeça de um dos ladrões. Em seguida, são rendidos os funcionários do correio que estavam no vagão com os malotes de dinheiro. Um bandido destrava o encaixe de um vagão, de modo a separar a locomotiva e três vagões, incluindo o que levava a grana, do resto do comboio. Os ladrões então obrigam o maquinista a conduzir o trem até a ponte Bridego, onde outros comparsas aguardavam com os veículos.

 

AS CURIOSIDADES VERÍDICAS SOBRE O ASSALTO!

 

A quadrilha descarrega a grana fazendo uma "corrente humana" do vagão com os malotes até os veículos. Pouco depois das 4 da manhã, após já ter carregado 120 sacos de dinheiro, o grupo deixa o local e volta para o esconderijo. A quadrilha ficou à vontade no esconderijo. Jogaram cartas, beberam e até brincaram de Banco Imobiliário, mais tarde a Scotland Yard encontrou impressões digitais nas peças do jogo. Pelo visto eles não se preocuparam nada com os rastros que poderiam deixar pelo local.

A gangue pagou uma grana preta para um cúmplice fazer a "limpeza" da casa, eliminando qualquer vestígio dos assaltantes. Só que o cara foi mais esperto: após os bandidos saírem, levou a grana e deixou a casa exatamente como estava. Ele nunca foi capturado pela polícia!

A polícia chegou até o esconderijo por causa da denúncia de um fazendeiro vizinho. Dias antes do assalto, ele havia estranhado a presença de um caminhão do Exército por ali. Ao escutar a notícia do roubo pelo rádio, sacou logo do que se tratava.

O líder do grupo chamou uma pessoa próxima a ele para agir como falso comprador da fazenda que serviria de esconderijo. Parece piada, mas, além de usar seu verdadeiro nome, essa pessoa contratou uma firma de advocacia para intermediar as negociações. Essa foi a grande pista que levou à prisão do chefe.

O "trem da alegria", contudo, vira a maior roubada. Pressionados pela ação da polícia, os caras fogem às pressas do esconderijo, deixando impressões digitais por todo lado. Por causa desse e de outros fatos, boa parte da quadrilha logo estava na cadeia.

Outra curiosidade é que no Brasil também teve UM ASSALTO AO TREM PAGADOR. Sério! Não é mentira! O Assalto ao trem pagador da Estrada de Ferro Central do Brasil foi um famoso crime que aconteceu em Japeri, no Rio de Janeiro, no dia 14 de junho de 1960. Na ocasião, um grupo de criminosos assaltou o trem de pagamentos da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil, tendo subtraído uma grande quantia de dinheiro que totalizava Cr$ 27.598.000,00. E em 1909, também no Brasil, em Santa Catarina, houve outro assalto ao Trem Pagador, malote com o pagamento dos empreiteiros, no valor de 375:300$000 (trezentos e setenta e cinco contos e trezentos réis - montante que na época representava cerca de 15% da arrecadação anual do tesouro do estado), no escritório da companhia na cidade de Ponta Grossa, na segunda quinzena de outubro de 1909 a assim o restante do percurso seria cumprido no lombo de mulas, pois o trecho não estava liberado para a passagem das máquinas.

Voltando ao assalto inglês que completou 50 anos, muitos devem perguntar: - E o dinheiro? Onde ele foi parar? Pois bem! A justiça inglesa declarou que 3.365,18 libras foram recuperados, o que não dava nem para pagar 1% da ação da Scotland Yard. Aqui no Brasil, Biggs viveu de Rei a Playboy; e pelo visto, trouxe sua parte consigo; e aqui deixou!

50 anos depois, pouca coisa restou de original do Assalto ao Trem Postal. Ronald Biggs se entregou as autoridades da Inglaterra em 2001 e lá ficou preso por algum tempo. Agora, aos 84 anos, debilitado depois de 8 derrames, permanece preso dentro de um corpo combalido; e ainda sonhando voltar ao Brasil para encerrar sua história, no mesmo lugar onde ela ficou famosa!

 

 

Carlos Henrique Mascarenhas Pires



Comentários 0



Nossos Parceiros

© Copyright 2011 - Crônicas do Imperador. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento de sites