Vídeo em Destaque

+ Mais videos

Enquete

LULA SERÁ PRESO?
Crônicas do Imperador
na Rede

ARMADILHAS DAS COMPRAS COLETIVAS

Sábado, 13 de Agosto de 2011
ARMADILHAS DAS COMPRAS COLETIVAS

Agora a pouco a empresa de minha esposa recebeu um contato de uma Executiva de Vendas de um dos maiores sites de compra coletiva do Brasil. Segundo informações obtidas no próprio site, eles estão presentes em 43 países e movimentam milhões de dólares em transações do gênero todos os anos. Aqui no Brasil eles afirmam que possuem mais de 700 empregados internos e outra gama enorme de vendedores, gerentes e supervisores externos.

A referida executiva propôs uma parceria para que anunciássemos produtos de nossa grade comercial. Quando solicitamos alguns exemplos, ela nos mandou um modelo de um distribuidor de cosméticos em Porto Alegre, que vendeu 11 mil unidades de perfumes importados num espaço de 48 horas. Como eu não acredito muito em histórias tão belas, porque sei que o trabalho é árduo e sofredor, fui pesquisar melhor sobre o tema e sobre este mega distribuidor que possui mais de 11 mil peças em seu estoque.

Sim, porque ninguém que tenha apenas 11 mil frascos de perfumes em estoque pode vender desta forma. Pelo anúncio ele cita alguns modelos como Ralph Lauren Polo EDT de 59 ml e Carolina Herrera 212 Men EDT de 50 ml (dentre outros mais caros). Quem comprou estes perfumes pagou R$ 99,90 e pode comprar até mais de um por CPF cadastrado. Um mega negócio para o comprador, se não fossem observados alguns critérios intrigantes.

Na oferta há o nome da loja, o endereço do site dele, e-mail e telefone. Quando se pesquisa pelo nome da loja no cadastro do Governo, ela não aparece. No endereço do site há a segunda decepção, pois é amador, mal feito e sem nenhuma coerência comercial. Trata-se de um destes sites gratuitos que qualquer garoto semi-alfabetizado consegue fazer de um computador 486 Monocromático. O telefone informado raramente atende e quando eu consegui falar, com uma senhora por nome de Camila, esta me disse não saber nada sobre a empresa e que todas as informações pertinentes a vendas estão no site; quando você envia um e-mail, receberá automaticamente uma resposta dizendo que eles lamentam muito, mas não poderão honrar dentro do prazo com todas as vendas feitas pelo site renomado. Pedem paciência e sugerem abertamente que as pessoas solicitem o dinheiro de volta através de outro e-mail.

Um Ralph Lauren Polo de 59 ml custa no exterior U$ 59,00 ou R$ 101,48; não apliquei a este preço o custo do frete, muito menos dos altos impostos. O site de compra coletiva cobra 50% de quem vende; neste caso, de cada R$ 99,90 o site fica com R$ 49,95. Quem vendeu recebe também R$ 49,95 e ainda precisa pagar o frete para encaminhar cada oferta. Nos Correios o serviço mais barato é o PAC; com a caixinha e o custo efetivo do serviço, este PAC sai em média por R$ 14,10 para qualquer lugar do Brasil. Aqueles R$ 49,95 que o vendedor recebeu agora são apenas R$ 35,85, mas ele pagou (sem imposto e frete) R$ 101,48. No final desta operação sem pé e sem cabeça a empresa que vendeu vai amargar um prejuízo mínimo de R$ 65,63 por cada produto vendido.

Sabemos que venderam 11 mil unidades; neste caso ao final, caso fosse verdade, teriam amargado uma bordoada de R$ 721.930,00 (setecentos e vinte e um mil e novecentos e trinta Reais) em prejuízos com a operação. Lembro mais uma vez que no rol de ofertas havia outras marcas ainda mais caras.

Quem em Deus pode hoje amargar tamanho prejuízo? A maior loja de vendas de perfumes da América Latina, Sacks; milionária e de confiança, jamais faria algo desta natureza. A Renner, loja de departamentos, que também vende muito perfume importado e tem um alto potencial financeiro, com certeza também não faria isso. – Então, porque um site medíocre e sem nenhum apelo comercial o fez? São os mistérios que somente se justificam com a resposta vinda no e-mail citado.

Na Sacks um Azzaro Pour Homme de 100 ml sai por R$ 273,90; se ele fosse anunciado no site de compra coletiva, teria que ser oferecido por no mínimo R$ 136,95. De acordo com as regras do site a oferta tem que ter um mínimo de desconto de 50%. Caso a Sacks permitisse uma oferta com este produto, somente receberia R$ 68,47 (sem incluir o frete), porque o site também cobra 50% de tudo que é vendido. Dá para dizer algo mais?

Aprofundando ainda mais neste mesmo site líder de vendas no Brasil (informações deles), passei a pesquisar as ofertas nacionais; aquelas em que todos têm acesso e não somente setorizada pela cidade do cadastro do comprador. Vejam alguns exemplos...

01 – Telefone sem fio Oregon modelo OS5821. Preço no site já com 50% de desconto R$ 64,50; Preço na loja Shoptime sem desconto R$ 79,00.


02 – Telefone Motorola ZN300 (fora de linha) habilitado no plano Claro Controle 35*. Preço no site já com 87% de desconto R$ 54,00 + R$ 420,00 (plano) = R$ 474,00; Preço nas lojas Americanas desbloqueado R$ 499,00.
* Plano controle custa R$ 35,00/mês se o cliente não estiver com o CPF no SERASA.


03 – 70 revelações fotográficas na Oi Fotos no tamanho 10X15. Preço no site já com 67% de desconto R$ 19,90. Preço no site Oi Fotos R$ 26,60.


04 – Telefone celular Motorola A1200e (fora de linha) habilitado no Plano Claro Controle 35. Preço no site já com 78% de desconto R$ 94,00 + 420,00 (plano) = R$ 514,00. Preço na loja Kitcompras (desbloqueado) R$ 194,00.


05 – Telefone celular Sony Ericsson W580i (fora de linha) habilitado no Plano Claro Controle 35. Preço no site já com desconto de 79% de desconto R$ 69,00 + R$ 420,00 (plano) = R$ 489,00. Preço na loja Mouratec (desbloqueado) R$ 311,30.


06 – Telefone celular LG Scarlet KB775 (fora de linha) no Plano Claro Sob Medida 62. Preço no site já com desconto de 82% R$ 99,00 + R$ 744,00 (plano) = R$ 843,00. Preço na loja Shoptech (desbloqueado) R$ 329,00.

Existem dezenas de outras ofertas no mínimo suspeitas; tem uma que oferece um Mini-Notebook Mk Tech por R$ 298,00; eles já venderam, até o momento do fechamento deste artigo, 1337 unidades. Vale lembrar que dos R$ 298,00 de cada compra, a empresa paga ao site 50% do valor. Este mini-notebook sairá da empresa por R$ 149,00 (sem o custo da entrega em domicílio como prometem), ou algo em torno de U$ 86,00.

Depois de uma ampla pesquisa, vi uma loja no Paraguai, que vende produtos sem garantia, às vezes sem nenhum escrúpulo, que comercializa uma destas tranqueiras por U$ 255,00 ou cerca de R$ 433,40; voltando a lembrar que é um produto que está lá no Paraguai! Será mesmo que alguma empresa com um site feito a facão, sem referência ou tradição, suportaria vender mais de 1.300 peças de um mini-notebook por menos de R$ 150,00? Perdoe-me os mais crentes, mas quem acredita nisso, com certeza acredita em Papai Noel, Fada Madrinha e Duende!

Não é a primeira vez que eu observo tais aberrações; isso para mim é a tradução mais fiel de golpe; uma verdadeira brincadeira de mau gosto com o público consumidor e um assassinato ao Código de Defesa do Consumidor. Empresas que dizem ser enormes e potentes, que se auto-rotulam como milionárias e internacionais, mas que vivem aplicando o velho conto do vigário em pessoas desavisadas e inocentes.

Fica aqui o meu alerta ao Ministério Público, aos senhores diretores de PROCON, aos advogados e ao público em geral. Desconfiem destas promoções absurdas. Pesquisem mais sobre este tema de Compra Coletiva, que é uma maravilha, mas somente se for aplicado (na maior parte das vezes) para os serviços; estes sim dão mais lucro; os bens não-duráveis também podem agregar alto valor e permitir tais artifícios para promoverem estabelecimentos e até outros produtos agregados. Já os bens duráveis, ou tangíveis, raramente permitem uma especulação desta envergadura comercial.

Quando esta onda de Compra Coletiva começar a explodir, tenham certeza que vai sair faísca para todo lado. Eu já coleciono pelo menos 50 endereços virtuais de empresas (que não são empresas), que vendem todo tipo de produto na internet rotulado como Compra Coletiva e já tenho acesso também a milhares de ações cíveis tramitando pelo Brasil contra muitas empresas que atuam como pioneiras. O que não falta é gente se dizendo lesada e extorquida. No e-mail de resposta automática daquela distribuidora de perfumes de Porto Alegre, eles pedem dados pessoais de quem desejar ser ressarcido. Devemos nos ater que o negócio é feito entre o comprador e o site de venda coletiva; a transação não passa pelo ofertante e neste caso, ele não precisa ter seus dados, pois você paga ao site, muito embora na justiça, caso necessite, o litigante deve chamar a lide as duas partes, pois uma é solidária a outra. Para isso é necessário saber o CNPJ e o endereço correto de ambas; isso é difícil e complicado...

Deus tenha piedade de nós!


Carlos Henrique Mascarenhas Pires

Explicações acerca de minhas pesquisas: Os preços de outras lojas foram colhidos no site Buscapé; informações da Operadora de telefonia “Claro” foram retiradas de seu site; informações do site de compra coletiva foram colhidas também no próprio site deles; informações acerca do preço do mini-notebook foram colhidas no site da empresa que o oferece e comprado com um modelo similar vendido numa grande loja paraguaia.



Comentários 0



Nossos Parceiros

© Copyright 2011 - Crônicas do Imperador. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento de sites